As primeiras (mini) férias do Gabriel. Eu sobrevivi.

O ano de 2016 me trouxe muitas emoções, alegrias, aprendizados e muito, muito cansaço (rs) como mãe. Mostrei as experiências para vocês ao longo dos meses e está tudo nesta playlist aqui. E as primeiras mini férias do Gabriel fecharam o ano com chave (digo desafio) de ouro e vim contar para vocês como sobrevivi.

Para quem não sabe meu filho frequenta creche desde fevereiro de 2016. Com a proximidade do fim do ano, a direção comunicou que na última semana de dezembro eles estariam em recesso. Nada mais justo, já que todos lá trabalham muito e merecem descanso, mas quando recebi a notícia já começou a tensão para o meu lado por diversos motivos.

O primeiro deles é que eu não estaria livre para cuidar do filho durante o recesso da creche (#momentotenso1). Meu trabalho até me deu uns dias de folga, mas foi na semana pré-Natal. Quando pensei onde Gabriel poderia ficar esses dias automaticamente pensei na casa da minha mãe, porque lá seria mais fácil para eu ir e voltar do trabalho. Masssss, meus pais planejaram passar o Revéillon fora e viajaram (#momentotenso2).

Meu marido trabalha de casa, mas deixar ele com Gabriel não seria viável. Como ele iria trabalhar com uma criança enérgica de 1 ano dentro de casa, gente? Afinal, essa família precisa comer e pagar contas, né?

A solução (obrigada Deus) foi a casa dos meus sogros. Confesso que tinha medo dessa opção para não sobrecarregar minha sogra, que já cuida da bisa do Gabriel. Mas quem disse que ela não ficou feliz? Coisas de vó…

Daí começamos a semana do dia 26/12. Iniciamos o dia bem cedo (como sempre Zzzzzz) e, antes de ir trabalhar, deixei filho, marido e Estrela na minha sogra. No final da manhã meu marido me avisou que teria que sair por umas horas. Fiquei tranquila porque Gabriel já ficou um tempo sozinho com minha sogra em outras ocasiões e deu tudo certo. Mas poucas horas depois soube que Gabriel começou a chorar muito, chamava “papaiii” e “mamaiii” o tempo todo e nada acalmava o menino (#momentotenso3). Com muitas lágrimas e sem saber mais o que fazer, minha sogra (tadinha) ligou para o meu marido para ele “voar” de volta. Quando ele finalmente chegou, Gabriel se acalmou. E quando eu cheguei, a “vaca leiteira” entrou em ação.

No decorrer da semana, mais desafios apareceram: o calor extremo (#momentotenso4), otite (#momentotenso5), febre (#momentotenso6), muitos remédios (#momentotenso7), dentes nascendo (#momentotenso8). Todos esse fatores fizeram dele uma criança irritada, agressiva, sem dormir direito e com pais extremamente exaustos. Acho que foi a semana mais difícil com Gabriel que tivemos até hoje.

Foi difícil, gente! Mas, como tudo na vida, os dias super complicados passaram. Esta semana ele voltou para creche e nossa rotina está sendo reestabelecida.

Mesmo diante das dificuldades, cansaço e tal, eu, o pai e todos que cercam Gabriel entenderam e respeitaram os dias tensos que ele teve nas férias. Tadinho, ele ficou doentinho, saiu da rotina, ficou longe dos amiguinhos, passou um calorão e não aguentou a pressão.

Como mãe de primeira viagem, o aprendizado que fica é que, nas férias de um filho, é bom estarmos juntos dele, tentar não mudar totalmente a rotina, pensar no entretenimento e superar os imprevistos.

Bom, eu sobrevivi e estou preparada para as próximas férias. Afinal, como não seguir em frente com força ao ver o sorriso abaixo, né? <3
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *